Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

O PAPEL DO PROFESSOR

Bom, li esse texto ano passado em um site que acompanho frequentemente e super me identifiquei, por ser professora, e por concordar com as ideias expostas. Então resolvi publicar no meu blog.


"Falar sobre educação nunca foi fácil. Talvez não tenhamos a oportunidade de ver o dia em que será, mas uma coisa podemos fazer: Falar. Como “professora” do estado de São Paulo, posso dizer que o que eu vejo nas escolas não é nada bonito, nem fácil e nem prazeroso. Vivemos numa época onde os estudantes de licenciatura – independente da área do curso - pisam na escola pública pela primeira vez e já desistem no primeiro dia. Por que isso acontece? Por que o Professor, aquela imagem importante na vida de qualquer um- perdendo, talvez, apenas para os pais- tem se transformado nessa figura desconexa e confusa? São os alunos? É o Sistema?

Na minha humilde opinião de espectadora posso dizer que a coisa começa em casa. Pais, saibam que os professoes não são responsáveis em criarem pessoas com caráter, essa é a função biologicamente dada a vocês. Se o professor não pode castigar, é óbvio que ele não pode ser o principal responsável a ensinar o que é certo ou errado ao seu filho. A função do professor é educar seu filho diante da sociedade, ensinar como se portar e, claro, ensinar a lidar com essa infinidade de informações e conteúdos e absorver essa gama de conhecimento que nos é jogado diariamente. Sim, seu filho precisa saber Matemática para viver em sociedade. Não, ele não vai fazer parte da sociedade simplesmente por viver nela. A educação antes de tudo é o meio mais seguro de suas reclamações com a vida – tais como política, dinheiro, salário que não recebeu, empregos, entre outras coisas – terem algum sentido.

Professor, você não deve julgar seus alunos. A sua função é passar conhecimento e não denegrir a imagem já afetada que as crianças têm da escola. Não é porque aquele aluno, que já é pobre e vive numa situação geralmente mais dura que a sua, que ele vai ser eternamente assim. Precisamos acabar com essa ideia de passar a mensagem de que “já que não dão valor ao meu trabalho, que se dane tudo”. Não é assim que funciona. Entendo que a culpa não é exclusivamente do professor, é disso que estamos falando, mas como professor, você é a principal ferramenta para que isso mude. 

Por último, o Sistema também tem papel importante nisso. Não adianta os pais se importarem ou mesmo o professor se importar se o valor que ele tem não é devidamente dado. Uma coisa que muitos de nós queremos entender é: por que todos admitem que a figura do professor é importante e mesmo assim não valoriza? O que temos visto nas escolas não é bonito: Professores sendo agredidos, alunos se vingando de abusos sofridos na escola, pais sofrendo com a situação de seus filhos. E o Sistema simplesmente se abstém de comentários. Admito, existem projetos promissores. Mas a cada troca de Secretário da Educação, os projetos caem por terra.

Todos temos uma parcela de culpa nessa educação falha que os nossos filhos e alunos recebem. Cabe a nós mudar isso. Pais, participem da vida escolar do seu filho, ensinem os princípios básicos da educação – obrigado, por favor, com licença. Professor, mantenha-se atualizado, tenha paciência e acredite que a educação pode mudar o Brasil. Se a situação está ruim é porque nós, brasileiros, cidadãos “votantes” deixamos que chegasse a isso. Cabe a nós observar o que acontece dentro da escola, porque é o que as crianças veem e tomam como “modelo de sociedade” Queremos uma vida ao som de funk eternamente? Queremos uma sociedade onde o mais importante é encontrar um namorado? Não sei vocês, mas eu quero uma sociedade melhor e digna de respeito. Quero um professor valorizado e os pais preocupados com a situação da escola dos filhos."

2 comentários:

  1. Parabéns professora!!! Sou teu fã número um e vc sabe, muito bem disso, pois não? Em relação a matéria,gostei muito,como sempre vc arrasa!!! Tenho a seguinte opinião,hoje, felizmente, vcs professores podem e devem ensinar a nós "alunos" a pensar, a questionar e a aprender a ler a nossa realidade, para que possamos construir opiniões próprias.

    ResponderExcluir
  2. Com certeza Bené. Esse texto é só uma pequena opinião da educação no Brasil, e deveria ser exposta com uma frequência maior.
    Como professora, ideias fervilham minha cabeça e com certeza vou postar mais assuntos relacionados a essa área, pois com certeza essa mensagem irá atingir alguém.

    ResponderExcluir