Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

MELANCOLIA

Não foi bem uma decepção daquelas! Já até esperava por isso. Você acaba criando uma certa resistência, após muitos corações partidos.
E você nunca conhece alguém de verdade, até o momento em que você ouve algo que te deixa intrigada, sem reação, é... passei por isso hoje.
A minha vontade foi revelar toda essa confusão que está na minha mente agora: será que eu o quero só como amigo ou mais que isso? 
O motivo dele estar constantemente nos meus pensamentos não responde a essa pergunta, afinal, divido com ele tantas aflições que eu nem sei mais o que fazer.
Será que isso pode estragar tudo entre a gente? Temos uma ligação tão bacana! Minha doçura de certa forma exerce uma força inexplicável sobre ele, e isso não é coisa da minha cabeça.
Quando olho pra ele, é como se seus olhos quisessem me dizer algo, não sei. E me vejo constantemente me perdendo nesse olhar.
Será que eu estou dando tanta bandeira assim? Será que ele também está confuso em relação a gente? 
Acho que não. Que chato essa coisa de criar expectativas, de imaginar coisas.
Em meio a uma conversa ele falou que não quer que ninguém goste dele, e ele realmente quis dizer isso. 
Mas será que foi pra mim?
Não consegui falar mais nada depois disso. 
É esquisito não querer se apegar às pessoas, o que no fundo eu adoraria ter a capacidade.
Mas é totalmente o contrário, eu me apego e acabo quebrando a cara.
Se isso é ruim, eu não sei. Dizem que experiência traz maturidade.
Eu só sei que eu não tenho ideia se aguento mais decepções, eu só queria que em algum momento as pessoas parassem pra pensar na forma de valorização do outro, seja amigo, família ou amor. No peso que uma frase dessa pode acarretar. Não sei o que pensar.
E eu não sei se foi mesmo pra mim, mas eu só consigo pensar em uma coisa depois disso: me afastar.
Posso estar sendo egoísta, mas é minha forma de proteção.
Enfim, que o tempo me mostre se estou errada, ou então me traga conforto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário