Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

terça-feira, 20 de novembro de 2012

AMIZADE

Sabe Snoopy, eu tô desenvolvendo uma nova filosofia: eu só preciso suportar um dia por vez!

Conheci pessoas que mudaram a minha vida e que fazem a diferença até hoje.
Conheço pessoas que me irritam mas que no fundo eu não viveria sem.
Convivo com pessoas que eu daria tudo pra não ver nunca mais.
Estou longe de pessoas que eu daria a minha vida só pra poder abraçar por alguns segundos.
Troquei amigos verdadeiros por pessoas que hoje nem lembram que eu existo.
Acreditei na amizade de alguém que hoje eu sei que não passou de um interesseiro.
Tive amigos falsos, amigos verdadeiros. Tive pessoas que marcaram e colegas que talvez mais pra frente façam a diferença.
Tive melhores amigos que me abandonaram e desacreditei de pessoas que hoje dariam tudo pra me ver sorrindo.
Confiei em pessoas que dariam tudo para tirar a minha felicidade e desconfiei de pessoas que me ajudariam a qualquer custo, só pra eu ser, quem sabe, feliz.
Percebi o quanto a vida é injusta e o quanto aprendemos com o tempo e a experiência.
Vivi e ainda vivo.
Continuo aprendendo e ás vezes tento ensinar aqueles que ainda não passaram pelo o que eu passei.
Talvez eu tenha mudado, talvez eu não confie mais nas pessoas com tanta facilidade assim, mas apesar de ter conhecido pessoas interesseiras e acreditado em pessoas falsas, eu sei que existiram e ainda existem os verdadeiros, e eles, ah, eles eu não troco por nada nesse mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário