Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

quarta-feira, 22 de maio de 2013

ENIGMAS DE LONDRES- ESPÍRITOS DO TÂMISA- BEN AARONOVITCH

Há uns dois meses atrás, selecionei alguns livros que retratavam Londres em diferentes épocas. Ficou faltando somente esse livro para resenhar: Enigmas de Londres- Espíritos do Tâmisa, do escritor Ben Aaronovitch. Confesso que demorei a resenhar, mas não porque o livro seja ruim, talvez porque estava querendo escolher as palavras certas e fazer as pessoas se interessarem tanto quanto eu me interessei. É um livro surpreendente.
Conhecendo um pouco do escritor britânico, esse é o primeiro trabalho de Ben, que é roteirista e fez muito sucesso na BBC com a lendária série Doctor Who (perfeita!). Pra quem não conhece, segue o trailer da primeira temporada:



Sinopse: Peter Grant tinha tudo para ser apenas mais um jovem guarda da Polícia Metropolitana de Londres. Após um encontro inesperado com um fantasma, contudo, ele é recrutado para uma unidade secreta que lida com a magia e o sobrenatural e torna-se o primeiro aprendiz em 50 anos do inspetor Nightingale, o último mago da Inglaterra. Peter Grant então precisa imediatamente lidar com dois casos inter-relacionados. No primeiro, ele deve descobrir quem é o espírito vingativo que anda transformando pessoas comuns em assassinos sanguinários. No segundo, aprender a investigar magia, conviver com grupos de vampiros, lidar com trolls e revirar covas pela cidade. Além, é claro, de negociar uma trégua entre deuses enfurecidos do rio Tâmisa caminhando por aí. Com uma linguagem ágil e bem humorada, Ben Aaronovitch narra a história de um detetive que achava o mundo normal, antes de conhecer o poder intenso e surreal da magia por detrás do submundo de Londres. Aclamado por público e crítica em sua estreia como romancista, o autor foi indicado ao Galaxy National Books Awards como "Autor Estreante do Ano", além de escrever roteiros para a série de televisão Doctor Who.

"Sendo um londrino experiente, Martin lançou ao corpo uma olhada rápida para determinar se era um bêbado, um maluco ou um ser humano com problemas. O fato de que era perfeitamente possível alguém ser os três ao mesmo tempo explica porque o samaritanismo em Londres é considerado um esporte radical – como bungee-jumping ou luta com crocodilos. Percebendo a qualidade das roupas e sapatos, Martin acabara de classificar o corpo como de um bêbado quando percebeu que estava sem cabeça."

A trama se inicia quando Peter, o mais novo detetive da Met, está vigiando a cena do crime que ocorreu em frente a St Paul's Church, e lá encontra uma testemunha ocular do crime. Porém, essa testemunha é o fantasma Nicholas Wallpenny. Sendo assim, Peter descobre que Londres esconde um mundo que ele nunca poderia imaginar! 
Peter Grant é o protagonista da história, um cara super instigante, maduro e muito sarcástico! A narrativa é toda conduzida por ele, proporcionando ao leitor a descoberta desse novo mundo ao lado dele, baseado em seus sentimentos e observações em vista das inúmeras situações inusitadas que ele vai enfrentar. Os demais personagens, como o inspetor Nightingale, sua parceira na Met Lesley e a ninfa Beverley, são super interessantes também, todos com seu papel importante na trama. Uma observação é que os personagens são super parecidos com o da série Doctor Who, personagens exuberantes e exóticos, bem elaborados, e cenas parecidas com a da tv, com humor britânico, jeito irônico, cenas secas e engraçadas. Um diferencial na escrita leve e instigante de Ben. Nada mal pra quem resolveu arriscar em sua primeira trilogia. =)

"– Então magia é real –eu disse. – O que faz de você um... o quê?
– Um mago.
– Como Harry Potter?
Nightingale suspirou.
– Não, não como Harry Potter.
– Em qual sentido?
– Eu não sou um personagem de ficção – disse Nightingale."

Ao decorrer da trama acompanhamos o aprendizado de Peter como mago e detetive, em muitas situações cômicas como explosões, estrago de milhares de celulares, além de muita sujeira e prejuízo que ele causa no processo. O que não deixa de ser engraçado. E como é o primeiro volume da trilogia, não vemos um aprofundamento na arte da magia, só uma introdução. Acredito que Peter vai evoluir nos próximos livros. Mas não posso deixar de destacar a união dos instintos de policial com os de aprendiz de mago, uma mistura fantástica!
Londres está bastante presente na obra, a cidade cria vida e participa do desenvolvimento da trama. O autor cita locais e estações do metrô, o que dá um brilho maior aos que já estiveram em Londres. Aos que não, ele desperta nossa curiosidade para os lugares, nos instigando a conhecer.
Além disso, o autor encaixa uma história sobrenatural com uma policial. Crimes envolvendo seres sobrenaturais, magia pairando no ar, assassinatos bizarros. Foi uma sacada muito boa!
A única coisa que eu descordo em relação ao livro é que na capa temos a seguinte recomendação: "O que aconteceria se Harry Potter crescesse e se unisse ao CSI?" Achei totalmente desnecessária, o livro e sua história não precisam de comparações, ele é bacana por si só, pela genialidade e ousadia em misturar magia e investigação criminal. Isso basta.
enfim, recomendo aos que curtem um bom livro policial, recheado de ação, mesclado com o sobrenatural, bem diferente de tudo que já foi lançado anteriormente. Aos que estão cansados da mesmice! A mistura do sobrenatural com o mundo real é o que faz dessa obra uma leitura obrigatória!

"Detetives são magos treinados para tentar solucionar os casos bizarros. A magia existe, é verdadeira e não é nada bonita e harmoniosa; é perigosa e fatal!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário