Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

RESENHA: ADORMECIDA- ANNA SHEEHAN

Acho que todo mundo uma hora tem esse ímpeto de ler um livro só porque a capa se mostra atrativa. Eu tive e não me arrependi. 
Adormecida da escritora Anna Sheehan, não tem relação alguma com conto de fadas. Pelo contrário, é uma distopia incrível com uma mensagem super relevante. 



Sinopse: Rose Fitzroy esteve dormindo profundamente por décadas. Imersa num sono induzido, esquecida em um porão por mais de 60 anos, a jovem foi tratada como desaparecida enquanto os anos sombrios pairavam sobre o mundo. Despertada como por encanto e descobrindo-se herdeira de uma corporação multimilionária, Rose vai entendendo pouco a pouco, tudo o que aconteceu em sua ausência. Ela descobre que seus pais estão mortos. O rapaz por quem era apaixonada não é mais que uma mera lembrança. A Terra se tornou um lugar estranho e perigoso, especialmente para ela, que terá de assumir seu lugar à frente dos negócios. Desejando adaptar-se à nova realidade, Rose só consegue confiar numa única pessoa estranhamente familiar. Rose até gostaria de deixar o passado para trás, no entanto, ao pressentir o perigo, percebe que precisa enfrentá-lo – ou não haverá futuro. 

"Sonho que um dia realmente vou acreditar que tenho um lugar nesse mundo. Sonho que sou forte."

Rose ficou em estase (sono induzido através de substâncias químicas inaladas em uma cápsula, enquanto lá, você não envelhece) por sessenta e dois anos e foi despertada com um beijo por Bren Sabah. Lendo assim, até parece a história da Bela Adormecida, mas não é, para por aí. A jovem desperta e descobre que o mundo havia mudado, e que ela não conhece mais ninguém. Seus pais não existem mais e nem seu tão estimado Xavier. Ela acorda em um futuro dominado pela empresa de seus pais, Unicorp, um império interplanetário, e ela é a única herdeira. Porém, por ser menor de idade, a jovem acaba ficando sobre a tutela de Guillory, o presidente da empresa, que delega ao casal Barry e Patty Piper, empregados da empresa, como seus pais adotivos.
Em busca de uma vida normal, Rose passa a frequentar a escola, com apoio do jovem Bren. Na escola, ela descobre sobre os Tempos Sombrios, uma época de guerras, fome, doenças e morte, que devastou metade da população. O mundo teve que se reinventar após o colapso financeiro, populacional e ambiental.
Dos amigos de Bren, Rose fica muito próxima de Otto, um rapaz que é propriedade da Unicorp, na verdade, ele foi um experimento. Ele teve seu DNA alterado a partir de um micróbio, e apesar de ser quase normal (ele não fala, mas é incrivelmente inteligente), ele não possui vários direitos, como os dos humanos e corre o risco de morrer a qualquer instante. Por ter uma história triste, eles se identificam e se tornam grandes amigos.

"Você poderia ser meu." – escrevi. E tive de escrever rápido, pois sabia que, do contrário, não iria conseguir. – "Eu poderia lhe dar amor. Sou tão anormal quanto você, e não pareço pertencer a ninguém. Você é o único que parece combinar comigo. Podemos ser uma família."

Mesmo com a companhia e amizade de Bren, Otto e seu cachorro Zavier (recebeu carinhosamente esse nome em lembrança de seu grande amor Xavier), Rose se vê sozinha, forçada a lidar com seus sentimentos de perda e luto por um namorado e grande amigo que ficou no passado e uma carreira abandonada por conta da aparência social dos pais. Ela passa a se questionar se todas as vezes em que foi colocada em estase por seus pais, se foi para o bem dela ou por conveniência própria. 
Como se não bastasse toda essa situação triste, Rose se apaixona por Bren, que não retribui e acaba magoando-a, impulsionando a jovem a entrar em estase novamente, pois ela acredita que essa é a única forma de esquecer o que lhe aflige.

"– Certo. Que outro nome você dá para voltar ao seu caixão de vidro?
Fiquei surpresa. Nunca pensara daquela maneira. Olhei para o meu confortável tubo de estase. A maciez da seda que me protegia, a música suave que completava o último instante antes da estase iniciar, o primeiro perfume doce dos gases que precediam os momentos finais do estado de sonho antes da estase profunda tomar conta. Um caixão?"

Rose então precisa descobrir segredos, encarar seus medos, assim como enfrentar um assassino que a tenta destruir, para que assim possa encontrar sua felicidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário