Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

quinta-feira, 6 de março de 2014

PORQUE A IRLANDA?

Então, decidi morar um ano em Dublin, na Irlanda. E cá estou! Mas como surgiu essa ideia de morar na Europa? E porque a Irlanda? Bom, finalmente consegui um tempinho pra contar como tudo surgiu. Eu tenho essa coisa meio que supersticiosa de não contar nada até que tudo tenha dado certo. E só agora que eu cheguei aqui em Dublin que eu me sinto à vontade pra compartilhar de onde começou todo esse planejamento para morar na Europa. 


Em julho de 2010 eu me formei em Letras - Português/Inglês e decidi trabalhar na área pra ganhar mais experiência. Na verdade, no último ano de faculdade, eu já estava estagiando na Cultura Inglesa, eu era monitora, dava aulas de reforço e foi super válida a experiência lá, pra depois começar a trabalhar  como professora na Wise Up, onde fiquei por 3 anos e 4 meses. Durante esse tempo eu senti que deveria ter uma experiência em um país de língua inglesa, já que tudo que aprendi foi no Brasil.

Primeiro, em maio de 2012, decidi fazer um tour pela Europa, escolhendo 5 lugares: Portugal, ParisRomaLondres e uma passagem super rápida por Dublin.  Dessa viagem, me encantei por Dublin, e mais, tenho um amigo que naquele ano decidiu fazer um intercâmbio na Irlanda, e agora está em seu terceiro ano morando em Dublin. Isso foi o combustível pra que eu me empolgasse e enfim, assim que voltei ao Brasil, decidi juntar dinheiro pra voltar e passar um ano em Dublin.

Fechei com a escola, ELA, em setembro de 2013, mês em que eles fecham as matrículas, e como a minha noção de inglês é acima dos cursos oferecidos, aceitei o desafio de fazer um curso de Business. Paguei por um ano de curso que funciona da seguinte forma: 6 meses de curso + 6 meses de férias. Meu curso é de segunda à sexta, com duração de 3 horas, e ganhei um seguro de saúde da escola. Pra comprovar que estava tudo certo, a escola sempre manteve contato comigo e me tirou todas as dúvidas possíveis. Ao final, me mandou a carta de matrícula, que é o comprovante que deve ser mostrado na imigração do aeroporto.
Deixei pra comprar minha passagem no mês de novembro, pela empresa KLM, por um preço super bacana. Até aí minha viagem deu tudo certo e continuou dando, na verdade.

Escolhi o mês de fevereiro de 2014 pra então chegar em Dublin, já que o frio que assola a Europa no final do ano estaria mais tranquilo, e escolhi bem. Novamente, tudo deu certo.
Em janeiro foi meu último mês na escola, recebi todos os meus direitos e consegui mais dinheiro para levar pra viagem. 
Funciona da seguinte maneira se quiser estudar na Irlanda: você escolhe uma escola pra estudar, precisa ter uma acomodação (seja albergue, hotel, casa de família, apartamento ou casa compartilhada) e declarar ter 3.000 euros pra se virar pelo tempo do curso. Você só tira o visto quando chega no país, porque você entra como turista (mesmo mostrando a carta da escola), e tem o período de três meses para ir à imigração e tirar seu visto de estudante. E você escolhe como irá trazer esse dinheiro, se em espécie ou no cartão travel money. Eu preferi trazer em espécie, já que não quis correr o risco de um fiscal não acreditar se eu levasse um extrato com o dinheiro no cartão. Fora que agora a IOF está pra lá de absurda pra colocar dinheiro no visa travel money, 6.38% nem compensa, vale arriscar e trazer o dinheiro em espécie. Não acontece nada, se você for cuidadoso.

Bom, dia 22 de fevereiro foi o dia da viagem saindo de Brasília, com escala no Rio de Janeiro (espera de oito horas), depois Amsterdã (espera de duas horas) e depois Dublin. Foi um momento bem difícil, me despedir das pessoas que estavam sonhando junto comigo com essa viagem e ao mesmo tempo, morrendo de saudades pela distância. Mas sacrifícios são necessários, eu tenho isso comigo, e o resultado mais pra frente vai ser gratificante. A questão da distância e saudades se resolve tão fácil. E os que torceram  durante meu planejamento vão continuar me acompanhando e me dando o apoio que eu vou precisar, sempre. Afinal, não sou de ferro, tenho meus sonhos, mas tenho meu sentimento e carinho pelas pessoas e vou sentir saudades todos os dias.

Minha mãe Nasaré e minhas primas-amigas Hosana, Josiane e Aline Gisele ♥
O que mudou dessa escala no Rio, é que ao chegar, por volta das 15:00, eu e um amigo (viajei com esse amigo que está em seu terceiro ano em Dublin) decidimos ver se já estava disponível para fazer o check-in, mesmo que o nosso voo fosse somente bem tarde da noite, e pra nossa sorte, a companhia nos ofereceu um voo para Paris que sairia mais cedo, bem mais cedo que o nosso, e assim chegamos antes em Dublin. Meu receio era a imigração, como eles iriam me tratar, mas foi o mais tranquilo possível, não fiquei nem três minutos na cabine. Só mostrei meu passaporte e a carta da escola, e o fiscal me perguntou da quantia de dinheiro, se eu trouxe em espécie ou no cartão. Assim que eu falei que tinha trago tudo em espécie, ele imediatamente me deu várias recomendações para ser cuidadosa e tentar abrir minha conta na Irlanda o mais rápido possível. Isso foi pra fechar minha sequência de coisas boas que aconteceram durante todo meu planejamento dessa viagem. É isso! Realização de um sonho, acompanhado de muita fé em Deus e muita determinação.

Vou dedicar um post pra minha primeira semana em Dublin e minha impressão das coisas por aqui, mas já adiantando, essa viagem não poderia estar sendo mais mágica, no ponto de vista de que era pra ser, se não, nada disso teria dado certo. 
Quem quiser tirar mais dúvidas de como planejei esse intercâmbio, só deixar nos comentários. :)


Essa música do Oasis, minha banda de coração, representa o meu momento agora, o desafio de jogar tudo pra o alto em tempos loucos, mas saber que tudo vai dar certo. *__*

3 comentários:

  1. Estamos juntos nessa, conta comigo. Sei muito bem como são os primeiros meses de adaptação, sofri muito, mas superei. Com você não vai ser diferente, sei que é forte e uma mocinha de muita garra e pé no chão, vai tirar as adversidades que surgirem no caminho com maestria.Como eu te disse antes de sairmos do Brasil, esse ano de 2014 aqui na Europa é nosso...e que venham os desafios!

    ResponderExcluir
  2. Continuo daqui sonhando junto contigo, sempre! Eu entendo de sonhos, saudades e também entendo da urgência em viver. Aproveite a oportunidade, sei que fará tudo da melhor maneira possível, estou adorando as fotos que vem postando dessa maravilha de lugar. Só lembrando de sua missão... Aquele abraço que mandei pro Bono!!! kkkkk Beijos Keninha!

    ResponderExcluir
  3. Keninha estou adorando sua viagem! e acompanho daqui sua caminhada maravilhosa!!!!. Gostaria de saber algo: você levou esses 3 mil para se manter no país durante os seis meses de curso e férias? a acomodação você já tinha? poderia se possível montar uma tabela com com valores de gastos com alemnetação, passagem, passeios, viagens, acomodação etc? beijos Débora.

    ResponderExcluir