Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

terça-feira, 18 de março de 2014

SAINT PATRICK'S DAY EM DUBLIN

Saint Patrick's Day é um feriado muito esperado aqui na Irlanda. Assim como no carnaval, as celebrações aqui começam dias antes do feriado mesmo, que é dia 17 de março e perduram por vários dias, além de ser uma data muito festejada em diversos países, como a Inglaterra, Austrália e os Estados Unidos. As festividades, em homenagem ao santo padroeiro da igreja católica na Irlanda, são marcadas por festas com fortes referências ao país: cor verde, música, comidas e bebidas típicas. As pessoas se vestem de verde e desfilam pelas ruas usando acessórios como o trevo da sorte. São Patrício foi um bispo que espalhou a fé cristã e fundou mais de 300 igrejas na Irlanda. O trevo de 3 folhas, comum na Irlanda, era usado para explicar a Santíssima Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Por isso, a cor verde que lembra o trevo representa o Saint Patrick’s Day.


Mas quem foi São Patrício?
Sabe-se que St. Patrick nasceu na Grã-Bretanha, filho de pais endinheirados, mais ou menos no final do século IV. Acredita-se que tenha morrido no dia 17 de março, por volta de 460 A.C. - daí então, a data da celebração. Até os 16 anos, ele se considerava um pagão. Nesta idade, foi sequestrado e vendido como escravo por saqueadores irlandeses. Foi durante sua captura que ele começou a se voltar para Deus. Ele conseguiu escapar após ter sido escravizado durante 6 anos e, então, foi estudar em um mosteiro em Gauls (na região da atual França), por 12 anos. Foi quando ele soube que sua vocação era tentar converter todos os pagãos na Irlanda para o Cristianismo. Sendo assim, St. Patrick foi de mosteiro em mosteiro, obtendo sucesso em converter as pessoas para o Catolicismo. Os Druidas Celtas ficaram muito insatisfeitos com ele e tentaram prendê-lo por diversas vezes, mas ele sempre conseguiu escapar. Originalmente, a cor associada a São Patrício era azul. Depois de 30 anos como missionário na Irlanda, por fim ele estabeleceu-se num lugar chamado County Down, até a sua morte. A valorização atribuída à imagem deste homem não está nos detalhes históricos, mas na inspiração de um homem que conseguiu retornar ao país de origem depois de ser escravo quando criança, com o intuito de transmitir a mensagem de Cristo.

E nada mais bacana do que ter presenciado as celebrações do St. Patrick's no meu primeiro ano na Irlanda! Elas começaram na sexta-feira dia 14 de março e terminaram na segunda-feira dia 17. Foi bacana ver como muitas pessoas, das mais diversas nacionalidades visitam a Irlanda só pra curtir esse feriado. Com atrações para todas idades, a cidade estava uma agitação só! Era verde para todo lado! Teve festival de dança irlandesa no St Stephen's Green Park, fun fairs, festival com comidas típicas, competição entre as universidades no rio Liffey, curtição no Temple Bar e muitos mais.

Mas o mais lindo foi assistir o desfile, nossa, inesquecível! Fui com uma amiga que conheci aqui em Dublin e chegamos bem cedo pra ter uma visão privilegiada. Pra ver a diversidade do evento, ao nosso lado tinha um grupo de franceses (super mal-educados), um casal americano (super tranquilos) e um chinês que puxou assunto com a gente, por sermos brasileiras e tals. Foi divertido trocar experiências, em meio ao desfile de tanta coisa linda que não só mostra a Irlanda em si, teve muita gente desfilando dos Estados Unidos, Escócia, Alemanha, países asiáticos. 
Selecionei algumas fotos pra mostrar um pouco do encanto que foi o desfile, é algo maravilhoso. Dura em torno de uma hora e é algo super organizado e dinâmico.
Ao término do desfile, as pessoas descem, ou pelo menos tentam descer pra o Temple Bar, local onde estão os pubs. É muito cheio, pra que gosta de muita bagunça, é um prato cheio. Só é meio complicado pra entrar nos pubs, na verdade o pessoal estava bebendo mesmo era nas ruas.
Um balanço desse dia importante para os Irlandeses: muito turista, de toda parte do mundo, e muito americano! Além de muito brasileiro espalhado pela cidade. Os eventos isolados foram bem bacanas, o desfile, sensacional! Mas a galera bebe muito, é se amontoa nas ruas deixando muita sujeira! Mas é como em qualquer lugar do mundo.



















Nenhum comentário:

Postar um comentário