Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

segunda-feira, 4 de maio de 2015

CIDADES DE PAPEL - JOHN GREEN

"Mas as coisas vão acontecendo… as pessoas se vão, ou deixam de nos amar, ou não nos entendem, ou nós não as entendemos… E nós perdemos, erramos, magoamos uns aos outros. E o navio começa a rachar em determinados lugares. E então, quando o navio racha, o final é inevitável. (…) Mas ainda há um momento entre o momento em que as rachaduras começam a se abrir e o momento em que nós rompemos por completo. E é nesse intervalo que conseguimos enxergar uns aos outros. "

John Green é o escritor teen mais criativo e sagaz que tenho lido ultimamente. Li A Culpa é das Estrelas e fiquei super curiosa com suas próximas obras, mas acabei que me distraí com outros livros e deixei o John um pouco de lado. Mas daí, mês passado, saiu o trailer da adaptação para o cinema de Cidades de Papel e eu não resisti com a curiosidade de sempre e peguei o livro para ler. Não me arrependi. Super detalhista, inteligente, com diversas charadas que meu Deus, ele deve ter feito uma pesquisa muito grande e usado sua super imaginação para colocar no papel as diversas cenas que eu tive o prazer de ler. É incrível, vocês precisam ler!



Sinopse: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

"Meus dias tinham uma agradável uniformidade. E eu sempre gostei disso (...) Não queria gostar, mas gostava. E assim, o cinco de maio poderia ter sido um outro dia qualquer - até pouco antes de meia-noite, quando Margo Roth Spiegelman abriu a janela sem tela do meu quarto pela primeira vez desde que me mandara fechá-la nove anos antes."

A história é sobre Quentin, um garoto em seu último ano na escola, que é apaixonado por sua vizinha Margo Roth Spielgelman, a garota mais popular da escola. Eles se conhecem desde os dois anos de idade, e sempre foram amigos. Quando tinham dez anos, os dois encontram um cara morto em um parque, quando estavam andando de bicicleta. Esse evento os separou de certa forma.

"Hoje, meu bem, vamos acertar um monte de coisas que estão erradas. E vamos estragar algumas que estão certas. Os últimos serão os primeiros; e os primeiros serão os últimos; os mansos herdarão a terra. Mas, antes de redefinir completamente o mundo, precisamos fazer compras. "

Até uma certa noite em que Margo aparece na janela de Q vestida de ninja o convidando para realizar 11 tarefas misteriosas. Entre elas, os dois invadem o Sea World, deixam três bacalhaus de presente para alguns amigos de Margo, visitam o SunTrust e depilam a sobrancelha de Chuck, um bully da escola. No SunTrust, os dois conseguem enxergar quase toda a cidade de papel que é como Margo intitula Orlando.
Porém, tudo muda quando Margo some no dia seguinte. Não é a primeira vez, e ela sempre deixa dicas de onde foi para alguém, seja na sopa de letrinhas ou em um comentário anônimo na internet. Depois de uns dias, o sumiço dura mais do que o esperado e todos ficam preocupados. Sendo assim, Q resolve investigar o paradeiro de Margo.

"Nunca consegui deixar de pensar que ela talvez gostasse tanto de mistérios que acabou por se tornar um."

Ele vai contar com a ajuda de seus dois melhores amigos: Ben e Radar. Esses dois personagens foram escritos de forma sensacional e possuem características interessantes: Ben sofre bulling pesado devido a um incidente envolvendo uma calça molhada de sangue. Radar além de ser totalmente aficionado com seu site, Omnictionary,  tem pais com uma coleção mais que curiosa: eles colecionam papais-noéis negros. A casa de Radar é lotada deles!

"Sou uma grande adepta do uso aleatório de maiúsculas. As regras de letra maiúscula são muito injustas com as palavras que ficam no meio."

No meio de investigações, cidades de papel e locais abandonados, o livro é dinâmico e conquistador. Nós começamos a investigar o sumiço de Margo junto com Q. Ele tem certeza do paradeiro de Margo quando vê um comentário online do jeito que apenas ela escrevia, e mesmo que esse lugar talvez nem existisse, ele vai atrás dela com Lacey, Ben e Radar.

Indico aos que curtem um bom mistério com a escrita leve do Green! É um livro descontraído, porém realista. Nos faz pensar sobre a vida e sobre o que as pessoas significam para nós, assim como colocamos algumas delas num pedestal e esquecemos de que elas são seres humanos como qualquer um. 
Agora é aguardar a adaptação para o cinema, prevista para ser lançada em julho desse ano!
Segue o trailer:



Nenhum comentário:

Postar um comentário