Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

RESENHA: A ILHA DOS DISSIDENTES - BÁRBARA MORAIS

"Admitir que às vezes precisamos fazer o que parece absurdo para garantir o bem-estar de quem amamos é meio caminho andado para lidar com a dor."

A Ilha dos Dissidentes é o primeiro livro distópico da trilogia Anômalos escrito pela autora Bárbara Morais. Conheci esse livro através de um amigo que conheci aqui em Brasília e o legal é que a escritora também é daqui da capital. 
Vou confessar que resisti um pouco em começar a leitura quando vi que era tipo "Distopia encontra X-Men". Mas quando eu comecei, não consegui mais parar de ler e me encantar com a trama e a escrita fluida da Bárbara. O livro é bastante inteligente.
A trilogia anômolos é composta de A Ilha dos Dissidentes, A Ameaça Invisível e A Retomada da União.

Sinopse: Ser levada para uma cidade especial não estava nos planos de Sybil. Tudo o que ela mais queria era sair de Kali, zona paupérrima da guerra entre a União e o Império do Sol, e não precisar entrar para o exército. Mas ela nunca imaginou que pudesse ser um dos anômalos, um grupo especial de pessoas com mutações genéticas que os fazia ter habilidades sobre-humanas inacreditáveis. Como única sobrevivente de um naufrágio, ela agora irá se juntar a uma família adotiva na maior cidade de mutantes do continente e precisará se adaptar a uma nova realidade. E logo aprenderá que ser diferente pode ser ainda mais difícil que viver em um mundo em guerra.

"É fácil esquecer que somos todos diferentes dos outros. É fácil, depois de tanto tempo vivendo entre iguais, não lembrar de como as pessoas com poderes são tratadas. E então começo a notar o que nossas vestes amarelas significam: as pessoas mudam de calçada para não passar perto, as mães escondem as crianças, os vendedores ambulantes se afastam."

O livro conta a história de uma região onde a população é dividida entre humanos e anômalos, que são humanos com poderes especiais. Sybil Varuna, nossa protagonista faz parte desse segundo grupo por ter sobrevivido ao naufrágio do Titanic III, navio esse que a levava de Kali, a região central da guerra, para o território da União.
Existe um confronto entre a União e o Império, ou como alguns chamam, Dissidentes, na região de Kali, uma área rica em recursos naturais que interessa ambas partes do conflito. Sybil foi enviada para trabalhar nos campos de refugiados da União, mas no meio do caminho o navio naufragou e ela foi a única sobrevivente graças a sua anomalia, desconhecida até aquele momento. 

Depois do acidente a União a manda para Pandora, onde ela vai fazer parte de uma nova família com Rubi, Dimitri e Thomas. Com essa nova família ela consegue pela primeira vez viver sem se preocupar com uma bomba caindo sobre seu quarto. Além de ter acesso a todo tipo de comida gostosa, como pizza, que ela nunca havia provado!
Em seu primeiro dia de aula, a sua vizinha faladora Naomi, capaz de ensurdecer qualquer pessoa com seus gritos, a leva para a escola e já se tornam grandes amigas.
Na busca por entender sua anomalia, Sybil se matricula em algumas matérias, onde faz mais dois amigos: Andrei, o loiro charmoso com a anomalia parecida com a de Sybil, envolvendo água, e Leon, o garoto cego que tem uma percepção incríve e um coração bem grande! 
Sybil, Andrei e Leon fazem uma disciplina que é envolta por muitos mistérios e nem todos podem participar, mesmo querendo como é o caso de Naomi. O mistério acaba para os três, quando após uma competição que aparentemente não valia nada, eles juntamente com a jovem Ava são escolhidos para uma missão na Ilha dos Dissidentes, missão essa para o governo.

"Suspeito que amor é só um tipo diferente de amizade."

A partir daí, é esperado muita ação, mistério e aventura! A quantidade de perguntas que são geradas durante a missão, nos deixa com angustia para o que podemos esperar nos próxinos volumes. É uma sensação ótima, já que a escrita é bem instigante!
Não poderia deixar de destacar o romance que vai surgindo nas páginas desse primeiro volume e como a trama não gira em torno dele, deixando a história ainda mais interessante.
Os personagens são bem escritos e desenvolvidos na medida certa. Destaque para Sybil, Andrei, e Leon que constroem uma amizade super bacana.

Mais destaque ainda para a escrita fluente da Bárbara e da criatividade e sagacidade em criar esse mundo com as cidades baseadas nos nomes de deuses gregos. Além disso, a política que gira na trama foi inspirada no apartheid e no holocausto, o que achei incrível e relevante considerando a luta dos anômalos para conseguirem sua igualdade na sociedade.

É uma distopia incrível, bem escrita e que não tem como se decepcionar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário