Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

BRATISLAVA - ESLOVÁQUIA

Dos três dias que separei para ficar na Àustria, escolhi um para visitar a a capital da Eslováquia - Bratislava. Fica super perto de Viena e existe a opção de ir de ônibus, barco ou trem.
O trem sai da estação Wien Hauptbahnhof, e lá você pode comprar o ticket, que custa 16 euros, no mesmo dia que for viajar. Desci para Bratislava no dia 17 de novembro/15, no trem das 9:21 da manhã. A jornada durou exatamente uma hora.
Chegando em terras eslovacas, fui deixar minha mochila no hostel Brickyard, que fica há 5 minutos da estação de trem. O local é super aconchegante, além de ser super barato! Consegui de cara fazer o check-in e desci pra tentar pegar o free walking tour, mas, de acordo com o mapa e a recepcionista, o ponto de encontro era a uns 15 minutos do hostel. Perdi o tour e depois descobri andando por conta, que era 30 minutos de lá.
A cidade é muito linda com traços antigos. Achei super parecida com Minas Gerais, a parte histórica. Todos os eslovacos falam inglês e foram super simpáticos! Foi lá que tomei o melhor chocolate quente da Europa, em um café chamado La Cocina.
Visitar Bratislava é super tranquilo, é possivel em um dia. Fui procurando os pontos turísticos principais por conta própria, e adorei me perder e dar de cara com lugares mais lindos, como um shopping center cheio de estátuas interessantes.

Principais atrações:




Kapucínsky kostol sveta Štefana (Igreja dos Capuchinhos de Sveti Stefan)




The better you eat, the better you look! 


O castelo de Bratislava fica no alto de uma colina, e parece proteger a cidade dos invasores até hoje. Saber que esta fortaleza medieval por pouco não chegou ao século 21 reduzida a destroços valoriza ainda mais a sua imponência. O castelo que abrigou a dinastia dos Habsburgos quando Bratislava era capital da Hungria e sede das coroações da realeza foi destruído por um incêndio em 1811 e permaneceu em ruínas por um século e meio, até 1953, quando teve início o projeto de restauração. Neste mesmo ano morreu Josef Stálin, o dirigente russo que comandava com mão de ferro os países do bloco comunista e cujos métodos de extermínio dos opositores seriam revelados pouco depois, em 1956. Atualmente o castelo é sede de um importante conjunto de museus de história, de arqueologia e de música do país: no acervo estão objetos da Idade da Pedra, da Idade Média e da história recente. 

Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava) 


Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava) 


Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava)


Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava) 


Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava) 


Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava) 


Uma das lembranças mais imponentes do legado comunista na Cortina de Ferro é a Nova Ponte (Nový Most), inaugurada em 1971. A antiga Tchecoslováquia rompeu com o regime autoritário dos soviéticos em 1989, com a Revolução de Veludo. O topo da ousada ponte suspensa dos comunistas lembra um disco voador.

Most SNP (Ponte Ovni), vista do Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava)


Most SNP (Ponte Ovni), vista do Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava)


Most SNP (Ponte Ovni), vista do Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava)


Most Apollo (Ponte Apolo) sobre o Danúbio, vista do Castelo de Bratislava 


Katedrála svätého Martina (Catedral de San Martín) vista do Castelo de Bratislava


Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava) 


Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava)


Bratislavský hrad (Castelo de Bratislava) 


Grasalkovičov palác (Palácio Grassalkovic)


Grasalkovičov palác (Palácio Grassalkovic)


A rua de São Miguel é a principal artéria do centro histórico de Bratislava, reunindo bares, restaurantes, lojas, embaixadas e museus.

Michalská brána (Portão de Miguel)






Estátua de Schöner Náci, situada na Praça Principal


Edifício da Galéria mesta Bratislavy (Galeria da Cidade de Bratislava), na Františkánske námestie (Praça Franciscana


Estátua na entrada do shopping center Eurovea


Estátua dentro do shopping center Eurovea


Estátua dentro do shopping center Eurovea


Estátua dentro do shopping center Eurovea


Prírodovedné múzeum (Museu de História Natural) do Slovenské národné múzeum (Museu Nacional Eslovaco)





Slovenské národné divadlo (Teatro Nacional Eslovaco)


Estátua Čumil, situada na esquina das ruas Laurinská e Rybárska brána 


Estátua Čumil, situada na esquina das ruas Laurinská e Rybárska brána 


Katedrála svätého Martina (Catedral de San Martín)


Katedrála svätého Martina (Catedral de San Martín)


Stanica Petržalka (Petržalka Station) 


Stanica Petržalka (Petržalka Station) 


Novamente, não consegui aproveitar tanto quanto queria, porque anoiteceu cedo. Mas consegui curtir o suficiente da cidade e sua arte singela. Voltei ao hostel para descansar e saí no dia seguinte bem cedo, para pegar o trem das 6:43 de volta à Viena. De lá, desci para o aeroporto internacional, onde peguei o vôo para Barcelona, que à propósito, atrasou uma hora. Comprei a passagem de avião pela eurowings por 40 euros, porque era a única companhia aérea de baixo custo voando para a Espanha e infelizmente tive que pagar excesso de bagagem, pois eles acharam minha mochila muito grande para ir na cabine. Mas como era o final da minha eurotrip, não me deixei estressar. Paguei e segui para o meu último destino: Barcelona.

Nenhum comentário:

Postar um comentário