Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

RESENHA: A GAROTA DAS LARANJAS - JOSTEIN GAARDE

"Será que a garota das laranjas era de outro planeta? Em todo caso, insinuou-se que ela poderia ser de um mundo diferente do nosso."

Assistindo um vídeo-resenha no canal Pipoca Musical, me vejo encantada pelo livro A Garota das Laranjas e não resisti para começar a leitura logo em seguida. Do escritor norueguês Jostein Gaarde, mesmo autor do aclamado O Mundo de Sofia, esse livro no formato de cartas, é de uma sensibilidade incrível!


Sinopse: Neste novo livro de Jostein Gaarder - o autor que conquistou milhões de leitores de diversas idades com O mundo de Sofia e outros sucessos internacionais -, uma carta que ficou guardada por muito tempo revela ao adolescente Georg Roed uma história extraordinária. O autor da carta é o pai do menino, morto há onze anos - ele escreveu esta longa mensagem de despedida para que o garoto pudesse lê-la depois, quando estivesse mais maduro. 
A história que o pai conta é do tempo em que ainda era um jovem estudante de medicina: a sua busca por uma moça desconhecida, que ele vê por acaso nas ruas de Oslo, sempre carregando um saco cheio de laranjas. Apaixonado, o rapaz persegue os diversos mistérios que cercam os seus encontros fugidios com a garota das laranjas, numa aventura que culmina numa grande revelação. Alternando entre a voz de Georg e a do pai, Jostein Gaarder constrói uma narrativa pontuada com perguntas filosóficas, que tratam de temas como o amor, a morte e a grandeza do universo.

"Meu pai morreu há onze anos. Na época, eu nem havia completado quatro. Não esperava voltar a ter notícia dele, no entanto agora nós estamos escrevendo um livro juntos."

É uma história relativamente curta, mas muito bem escrita. É uma história sobre o amor, a morte, o universo e questiona tudo isso. Uma pergunta essencial nessa história é se o curto período de tempo que cada um tem para viver na terra realmente vale a pena. O livro provoca o leitor a pensar a respeito dessa pergunta e pra mim, cada um de nós deveria responder, assim como Georg a responde. Na minha humilde opinião, ele apresenta uma bela explicação em que mesmo que se tenha um curto período de tempo na terra, esse tempo com certeza vale a pena.

"Uma vez ou outra na vida, a gente precisa suportar um pouco a saudade."

Como eu mencionei antes, essa é uma história de amor. A história de amor entre dois jovens que tem sorte de ter um ao outro. Acredito que a maioria de nós sonha em um amor como esse, mas acontece que esse amor nos deixa triste quando percebemos que ele é forçado a um término precoce. O que nos deixa triste é perceber que o pai de Georg queria desesperadamente viver, mesmo sabendo que ele não teria um final feliz. E mesmo envolto em tristeza, a alegria surge no momento em que descobrimos que ele encontrou o que estava procurando – o grande amor de sua vida, a garota das laranjas, que ficou com ele até seus últimos dias de vida, e mais, deu-lhe um filho através de quem ele vai continuar a viver. Através da carta que ele escreveu para seu filho, ele estimula Georg a ver o mundo com outros olhos e a encontrar coragem para falar com a garota que ele está interessado.

"Talvez não exista nenhuma intimidade equivalente a dois olhares que se encontram com firmeza e determinação, e além disso eles simplesmente não querem se separar."

Jostein Gaarder encontra a forma certa para combinar momentos engraçados, românticos e tristes nessa história. E mesmo que não tenha um final feliz para a garota das laranjas, a trama ainda tem seu final positivo.

Ao longo da história, o universo e o telescópio espacial Hubble, que nos permite descobrir mais do universo, desempenha um papel importante na trama. De vez em quando, esse tema surge novamente entre pai e filho e é de grande importância para o relacionamento de ambos. Pra mim, essa parte da história nos ensina a alcançar as estrelas sempre que pudermos. Somente as pessoas que lutam pelo que almejam serão capazes de alcançá-las. Mesmo parecendo impossível, super vale a pena tentar.

Eu me encantei com a história da garota das laranjas porque além de ser bem escrita, ela consegue ser engraçada, romântica e triste ao mesmo tempo. Apesar de ser uma história simples, não deixa de ter seu brilho. A narrativa é bela e encantadora, as descrições da Noruega e da Espanha são lindas e o final do livro nos deixa mais do que reflexivos, porque ele nos deixa com uma pergunta mais que interessante e relevante.
Leiam e se encantem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário