Quem sou eu

Minha foto
Prazer, me chamo Kênia, moro em Brasília – DF, sou professora de inglês, canceriana, torcedora do Palmeiras, amante de chocolate e gatos. Tenho como paixão a música, especialmente o rock. Minhas bandas do coração são o Oasis e o Skank. No mesmo nível de paixão está a leitura e o cinema. Adoro seriados inteligentes e de super heróis, e às vezes algo meloso e fofinho pra dar uma equilibrada. Leio de tudo um pouco, mas sou fascinada por distopias, thrillers, fantasia e mitologia. Tenho uma queda pela escrita do Neil Gaiman e do Stephen King e adoro descobrir escritores novos de escrita instigante, principalmente os nacionais. Amo viajar e conhecer novas culturas e lugares históricos. Londres é meu lugar favorito no mundo e tive a oportunidade de desbravar essa maravilha de cidade três vezes. Já pisei em 12 países e só penso em aumentar a lista. Iniciei esse blog há 3 anos com o intuito de compartilhar experiências de um pouco de tudo: resenhas de livros, viagens pelo Brasil e pelo mundo, dicas de inglês, experiências e pensamentos pessoais. Divirtam-se ♥

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

RESENHA: A PLAYLIST DE HAYDEN - MICHELLE FALKOFF

"Eu tinha escutado aquelas músicas sem parar nos últimos dias, tentando descobrir o que ele quis dizer com aquilo. Ouça. Você vai entender. O que eu deveria entender? Ele se matou e me deixou aqui sozinho para encontrá-lo. E eu tinha certeza absoluta de que era tudo culpa minha."


Sinopse: Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

“"Se tem uma coisa que eu aprendi com a playlist, é que ouvir as pessoas é importante. Gosto de pensar que estou ficando melhor nisso."

A história começa com o melhor amigo de Sam, Hayden, o arrastando para uma festa numa sexta-feira à noite, sem contar o porque de eles estarem indo. Sam não conseguia entender o porque, já que eles não eram o tipo de pessoas que frequentavam festas dos riquinhos da escola, mesmo o irmão de Hayden fazendo parte dessa galera.
Os dois garotos costumavam passar o tempo jogando Mage Warfare, um jogo online que eles não se importavam de ficar por horas. Mas essa sexta-feira era diferente e Hayden parecia estranhamente empolgado para ir à festa.

Mal sabia Sam que a excitação de Hayden logo seria ofuscado por uma série de acontecimentos infelizes na festa. E pouco fez Sam para impedir que esses acontecimentos fossem a gota d'água para Hayden, um menino que tinha passado grande parte de sua vida sofrendo bullying.

Quando Sam chega na manhã seguinte para fazer as pases com Hayden, ele encontra seu único amigo, morto, além de uma garrafa vazia de Vodca, um vidro vazio de Valium e um pendrive contendo uma playlist, que de acordo com um recado, Sam entenderia.

"Para Sam.
Ouça. Você vai entender."

Cada capítulo é cenário para as canções melancólicas da playlist de Hayden. Faixas  como Adam's Song do Blink 182 e Smells Like Teen Spirit do Nirvana compõem a playlist. As músicas encaixam bem na história, são bem tristes, sem esperança, melancólicas e os capítulos giram em torno de cada música, explorando as emoções de Sam em sua luta para descobrir o porquê da decisão do amigo.

"Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até pensem que podem fingir que são. Mas sempre alguém as vê."

Há cinco anos, Sam tem morado em Libertyville, Iowa, e seu único amigo é Hayden e o único amigo de Hayden é Sam. Bom, isso é o que Sam achava. Através de sua busca para entender o suicídio de seu amigo, Sam começa a socializar, fazer mais amigos, e daí encontra uma amiga. A princípio, Sam está hesitante em fazer novos amigos, com a impressão de estar substituindo Hayden, mas ele lentamente cede ao fato de que ele precisa de amigos, principalmente em um momento difícil como esse. 

"Quem precisa de um grupo? Que mal existe em ter um único melhor amigo?"

A história é contada a partir da perspectiva de Sam, que nos leva a conhecer os personagens através de seu ponto de vista, os bullies como valentões sem os seus próprios problemas, e Astrid, como uma pessoa linda, incrível, e não dissimulada como ela realmente é. 
Aos poucos, Sam descobre que essas pessoas não são o que elas parecem ser com ele, ele começa a perceber que talvez Hayden também não era tudo o que parecia ser, pra então começar, lentamente a entender o porque de Hayden ter cometido suicídio. Ele também começa a desvendar as histórias que une todos eles e que está conectada à decisão de Hayden.

"Foi ele quem deixou todos nós ali, tentando descobrir o que havia acontecido, impossibilitados de falar que sentíamos muito, para fazer a coisa certa. Eu jamais entenderia o quanto  ele se sentiu ferido, confuso e desesperançado a ponto de decidir que não valia mais a pena tentar, e não estava irritado com ele por ele ter decidido fazer aquilo, mas jamais gostaria de sentir o mesmo. E também jamais gostaria de fazer outra pessoa se sentir assim."

Livros que envolvem música e possuem um tema polêmico e relevante sempre ganham minha atenção. Com A Playlist de Hayden não foi diferente. Eu simpatizei bastante com o Sam e realmente entendi várias de suas inseguranças e emoções. Apesar de ser um livro voltado para adolescentes, é claramente recomedado para qualquer idade e pessoas que tem a sensibilidade para entender e questionar situações que levam o ser humano, seja em qualquer idade, a cometer suicídio. Entrou para a minha lista de favoritos, com certeza!

Para quem quiser conferir e ouvir a playlist que Hayden deixou para Sam: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário